terça-feira, 26 de dezembro de 2006

A luta dos professores

A plataforma de sindicatos de professores, que reune todas as organizações de classe que vêm manifestando a sua oposição a medidas do Ministério da Educação, com especial destaque para o novo Estatuto da Carreira Docente, vai apresentar queixa à OIT (Organização Internacional do Trabalho) e solicitar a intervenção do Presidente da República. São duas iniciativas formais para limitar os danos da batalha perdida.
É pena que não tenham tido a clarividência de perceber que o tempo da carreira horizontal já expirara há muito. Tal princípio é hoje indefensável, e ao terem feito dele o ponto nodal da sua reivindicação conduziram a luta dos professores para um verdadeiro beco.
O clima laboral nas escolas é péssimo, a desmotivação é enorme, os professores sentem-se enxovalhados e desacreditados socialmente e os sindicatos, mesmo os mais moderados, deixaram-se envolver numa espiral de radicalismo que não contribui positivamente para melhorar a imagem da classe nem cria qualquer alternativa favorável à situação existente.