segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Escravos

Andava a mexer nas memórias dos tempos de brasa do PREC e redescobri este texto da Conta-Corrente, de Vergílio Ferreira. Descontando os anacronismos, fica o essencial do que ainda hoje, mais até do que naquele tempo, muitos professores se queixam - a condição servil a que muitos alunos parecem querer reduzi-los.
"Não sei se já disse: trouxe-se para os liceus o esquema Capital-Trabalho, Patrão- Assalariado. O patrão capitalista era o professor; o trabalho está do lado do aluno, ou seja, do filho-família mandrião habituado às sopeiras e que estende ao professor a condição servil. O professor já está habituado: desde a Antiguidade que é escravo".