quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

Autonomia curricular

O ex-ministro David Justino advogou, em conferência recente, uma maior autonomia curricular para as escolas. A ideia é interessante e este deve ser o caminho, mas na situação presente impossível de concretizar.
O problema não é a autonomia curricular, é a autonomia tout court.
Como é que se poder querer autonomia curricular enquanto o Ministério da Educação continuar a gerir com mão de ferro todas as escolas? Primeiro há que libertar as escolas da tutela do ME e para isso há que criar um diferente ordenamento para a administração e gestão do sistema de ensino, nomeadamente através da criação de unidades de gestão de âmbito municipal.
Depois poderá vir a autonomia curricular definindo-se com grande rigor o core curriculum e as componentes de gestão autónoma local. Não se pode começar a construir a casa pelo telhado.