quinta-feira, 10 de maio de 2007

Da árvore à universidade

A expressão foi utilizada pelo administrador do distrito de Ribaué, província de Nampula, Moçambique, para caracterizar o percurso que algumas crianças aqui terão que fazer devido à escassez de salas de aula.
Tal como em muitos outros países africanos, ainda é muito comum por aqui que a primeira sala de aula de muitas crianças seja a sombra de uma árvore frondosa. É notável o esforço destes professores, aqui a profissão é essencialmente exercida por homens, para darem um mínimo de educação aos milhares de crianças que frequentam o ensino sem quaisquer condições sociais, nem escolares.
Os professores constituem, para estas crianças, o único passaporte para um futuro melhor, em regiões onde ainda não chegaram nem a televisão nem a internet e o conhecimento académico é exclusivamente veiculado pelo "mestre", mesmo que pouco habilitado para o efeito.