quarta-feira, 30 de maio de 2007

O caso Charrua e o grupo parlamentar do PS

Há momentos em que a decência e o decoro deviam impedir certos deputados de fazerem figuras tristes e prejudiciais para a sua própria credibilidade e do partido que representam.
A forma como alguns deputados de PS têm defendido na Assembleia da República a medida tomada pela DREN relativamente a um professor requisitado que ali exercia funções, a quem foi levantado um processo disciplinar e, de imediato, interrompida a requisição de serviço, faz lembrar outros tempos em que a "voz do dono" era a única linguagem que alguns serviçais conheciam.
Venha ou não a apurar-se comportamento culposo, a requisição do professor foi interrompida como medida punitiva. A não ser assim e não se encontraria qualquer justificação para este acto, pois o processo disciplinar poderia prosseguir sem alarme e não se teria criado esta situação a todos os títulos lamentável.
Infelizmente há deputados que fingem não perceber isto e em vez de se colocarem do lado da justiça preferem a barricada da chicana partidária, mesmo estando um causa um ex-parlamentar que deveria merecer, também por isso, um pouco mais de respeito.