quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Escolas e escolas

Em tempo de rankings é preciso ser cauteloso na análise destas questões, mas não resisto a transcrever uma citação de dois autores americanos Thomas Good e Jere Brophy, citados por António Nóvoa (1992), e que já em 1986 escreveram:

"Em primeiro lugar, constata-se que os processos internos às escolas estão relacionados com o sucesso dos alunos, o que sugere a existência de mecanismos que permitem a certas escolas obter melhores resultados do que outras com idênticos inputs (sublinhado meu). Uma segunda descoberta importante refere-se à identificação de processos que caracterizam de modo consistente escolas que têm mais e menos sucesso. A investigação e os dados demonstram que a variância entre as escolas representa uma dimensão importante que pode ser influenciadad pela escolha das acções e dos recursos mais adequados." (p.21)

Também num importante relatório, mas muito mais recentemente, em que se faz a revisão da literatura sobre “Como a liderança influencia a aprendizagem dos alunos” (Leithood, Louis, Anderson e Wahlstrom, 2004), e em que passam em revista todos os aspectos que influenciam o desempenho das escolas, os autores concluem pela existência de uma relação evidente entre liderança, iniciativas reformistas e o seu contributo positivo para a melhoria da qualidade em geral, acrescentando valor às aprendizagens dos alunos.

Em síntese, os resultados escolares são fortemente influenciados pelo que se passa dentro de cada escola e com rankings ou sem eles esta é uma verdade que a investigação confirma.


Bibliografia:
Nóvoa, A. (1992). Para uma análise das instituições escolares. In António Nóvoa (Org.) As organizações escolares em debate. Lisboa: Edições D. Quixote, pp. 13-43

Leithwood, K., Louis, K., Anderson, S. e Wahlstrom, K. (2004). Review of research. How leadership influences student learning. http://www.wallacefoundation.org/KnowledgeCenter/KnowledgeTopics/EducationLeadership/HowLeadershipInfluencesStudentLearning.htm?byrb=1