sábado, 2 de fevereiro de 2008

O Governo é autista e o PS está mudo e quedo

Hoje estive numa reunião da Distrital de Leiria do PS. Quem nunca participou na actividade partidária não pode imaginar o quanto estas reuniões são interessantes e instrutivas... Agora com o aliciante da castidade tabagística tornaram-se muito mais saudáveis.
Os controleiros de serviço, que têm de fazer juz às suas sinecuras, tentam iluminar as almas e acalmar as hostes, chamando o rebanho à unidade e à acção quando, como é o caso, o barco começa a meter água.
O Governo governa bem, a comunicação é que é o diabo. Sócrates é um herói, qual S. Jorge em luta contra o dragão, leia-se o défice, mas a comunicação social não ajuda. Pois...
Mas já Sampaio tinha dito, para ofensa de muitos e incompreensão de outros tantos, que havia vida para além do défice. O problema é que à medida que o défice fica controlado o Povo descontrola-se e o descontentamento aumenta.
É por isso que os sinos já tocam a rebate. Assim pode-se perder a maioria absoluta, talvez mesmo a maioria. Há pois que arrepiar caminho e mobilizar as massas. Mas como? Se o Primeiro Ministro anunciou solenamente que muda governantes mas não muda políticas e estas é que são o problema?
É preciso mobilizar as massas, mas quando se lhes bate tanto como tem acontecido (são sempre os mesmos a apanhar) elas tornam-se relapsas a arregimentações eleitorais e muita da tropa de choque eleitoral do PS era gente da classe média que não quer nem ouvir falar de Sócrates quanto mais dar o corpo e o voto por ele e pelo PS.
Digam o que disserem os sacerdotes partidários, há duas coisas importantes que é preciso ter em conta.
Primeiro, um governo só é aprovado com distinção e louvor quando a sua governação melhora a vida (ou pelo menos cria essa ilusão) à maioria dos eleitores. Acham que é isso que está a acontecer? Eu não.
Segundo, um partido que sustenta um governo não se pode demitir de ser a consciência crítica do governo que apoia. Se serve apenas como caixa de ressonância daquele torna-se um cortesão castrado, um eunuco, sem outro préstimo que não seja louvaminhar mesmo as mais absurdas e impopulares medidas governativas. É o que tem vindo a acontecer com grande parte do PS.
O busílis da questão é que o Governo é autista e (oficialmente) o Partido Socialista está mudo e quedo.
Assim, ou se restabelece a confiança do PS com os eleitores ou Sócrates, a partir de 2009, vai ter de trocar o seu jogging matinal no Kremlin ou em Washington por sítios mais prosaicos, por exemplo, a Quinta da Curraleira onde vivem muitos dos principais beneficiados das medidas de largo alcance social do Governo.