sexta-feira, 8 de agosto de 2008

O medo dos ciganos

Nas últimas semanas o país redescobriu os ciganos e os medos e ódios ancestrais que lhes andam associados e confirmou-os como a comunidade menos bem amada da sociedade portuguesa.
Num mundo onde a diversidade cultural é pedra de toque de sociedades abertas e num país que “abriu novos mundos ao mundo” não deixa de ser irónico e preocupante que se trate uma comunidade de portugueses, com uma forte identidade ancestral, como sendo constituída por um bando de marginais.
Hoje, como ontem, os ciganos acantonam-se para se defender a si e ao seu modo de vida e o resto da sociedade escorraça-os como forma de se defender deles. É tempo de quebrar este ciclo de incompreensão.