domingo, 9 de novembro de 2008

Tomar a nuvem por Juno

O comentário do Pedro B. é muito estimulante, mas já podia ter sido escrito para aí há vinte ou trinta anos. Ora se os professores como ele diz andam agora a esbracejar, são piores que os meus patrícios alentejanos e reagem muito ao ralenti.
O problema é a política educativa deste governo, não é a massificação, nem a proletarização, nem essas coisas interessantes que ele diz, mas que pouco têm a ver com o que se passa.
Corram lá com a Ministra, ponham gente no Ministério que saiba o que é uma escola e tenha espírito de professor, anulem o concurso para titulares, alterem a metodologia da avaliação e vamos ver que se acaba com as manifestações e com professores a reformarem-se ou a recorrerem ao psiquiatra para não irem às fuças dos alunos mal comportados e dos pais que lhes dão cobertura.
O problema de muitos professores socialistas é que tomam a nuvem por Juno, que é como quem diz, confundem manifestações genuínas de descontentamento com a política educativa como se de guerra política ao Governo se tratasse.
A política educativa deste Governo, na área objecto destes post é um desastre e isto tem de ser afirmado doa a quem doer, custe o que custar. Quem pôs a escolas a ferro e fogo foi a Ministra e os ajudantes, não foram os professores. E como diz um colega num comentário ao post inicial, a Sócrates só restam duas alternativas, ou faz cair a Ministra ou cai com ela. Por mim, há mais uma, é cair com a maioria relativa, porque acredito que as eleições ganha.