segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Barack Obama - Cortesia, boas maneiras e investimento na educação

Estou a ler um livro de Barack Obama - A Audácia da Esperança. Vale a pena conhecer melhor o homem, para além do político. Ficam aqui dois pequenos excertos pela actualidade e relação com a escola.
«..dou valor às boas maneiras. Sempre que conheço um miúdo que fala com clareza e me olha olhos nos olhos, que me diz "sim, senhor" e "obrigado", "por favor" e "desculpe" sinto-me mais esperançoso em relação ao nosso país. Penso que não sou só eu que sente isto. Não posso legislar sobre boas maneiras, mas posso encorajá-las sempre que me dirijo a um grupo de jovens.» (pp. 72-73)
" Não há dinheiro no mundo que chegue para fazer disparar o sucesso dos estudantes, se os pais não se esforçarem para lhes inculcar os valores do trabalho e do adiamento da gratificação". (p. 74)
A questão do "adiamento da gratificação" é central na motivação dos estudantes, representa a consciência de que a educação é um investimento a prazo e aquilo que pode parecer uma "seca" é o passaporte para um futuro melhor.
O facto de muitas crianças das clases socialmente mais desfavorecidas apresentarem elevados níveis de desmotivação e falta de empenho escolar tem a ver com a incapacidade familiar para pensar a educação em termos de investimento, dadas as dificuldades de subsistência quotidianas, que os levam a focar-se no imediato e a serem incapazes de perspectivar o futuro.