sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A política do sabonete

Há tempos, um célebre publicitário disse que “vender” um político é o mesmo que “vender sabonetes”. Sócrates aprendeu a lição e ganhou a primeira maioria absoluta para o PS.
De então para cá o “show” nunca mais parou e a política espectáculo instalou-se para gáudio de apoiantes e de opositores. Os primeiros porque vibram e se orgulham das qualidades e da obra do líder; os segundos porque encontram nesse estilo matéria para crítica e contra-propaganda.
Manuela Ferreira Leite não quer ser um “sabonete” e recusa-se a alinhar na mediatização da política. Está no seu direito. Mas fica no ar uma pergunta óbvia, como quer a Sr.ª ganhar eleições?