segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Faz-de-conta

É sabido que a política e os políticos estão desacreditados aos olhos da maior parte das pessoas e que já quase ninguém acredita na seriedade de quem desempenha cargos político-partidários.
Também se sabe que os políticos não são uma espécie rara, são apenas representantes da população em geral, pelo que quando alguém se olha ao espelho da política se vê lá reflectido enquanto parte deste povo que somos.
Afinal todos nós sabemos que a falta de participação gera a mediocridade, que a desistência corrói, que a maledicência é o húmus do negativismo e que o faz-de-conta não alimenta consciências livres.