domingo, 29 de março de 2009

O Papa e os dramas de África

A viagem de Bento XVI a África salda-se por muitos sucessos e por um perigoso equívoco. A defesa da paz, a emancipação das mulheres, a luta contra a discriminação, ficam a ecoar como palavras de esperança.
O mesmo se não poderá dizer da condenação do uso de preservativos. Conhecidos que são os princípios da Igreja Católica sobre a matéria, não se espera que o Papa os renegue. Mas insinuar que aqueles podem contribuir para o agravamento da epidemia, é ignorar o que a medicina comprova.
A castidade é preferível aos preservativos, mas perante as fraquezas da carne não se conhece melhor meio de defesa.