segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Participar é decidir

Desde há cerca de vinte anos que uma inovadora figura de gestão municipal se vem impondo como símbolo de uma nova relação entre eleitores e eleitos, refiro-me aos chamados orçamentos participativos.
No essencial, trata-se de chamar os munícipes à participação na elaboração dos orçamentos municipais, dando-lhe a possibilidade de sugerirem as formas de afectação de algumas verbas que mais estejam de acordo com os seus desejos.
Embora limitada a uma parte do orçamento, esta prática não deixa de constituir um acto de cidadania responsável e de abertura a formas de gestão mais participadas e que a internet potencia. Em Portugal cerca de 20 autarquias já aderiram à ideia, Lisboa incluída. Leiria bem pode seguir-lhes o exemplo.