domingo, 21 de março de 2010

A culpa não resolve problemas

Atribuir responsabilidades é um acto de gestão indispensável; exigir responsabilidades é um direito de cidadania de todos nós.
No entanto, muitas vezes perde-se de vista o essencial, avaliar os erros para os corrigir, optando-se por transformar alguém em bode expiatório de algo que correu menos bem, como se encontrar o culpado fosse mais importante do que resolver os problemas.
A propósito da tragédia na Madeira, algumas vozes se levantaram contra o Governo Regional, culpando-o por algum desordenamento urbanístico. Mas será possível calcular as culpas dos homens face às da natureza enfurecida? O importante é reconstruir, não utilizar o drama para ajustes de contas.