sexta-feira, 2 de abril de 2010

O beco português

Sou de uma geração que cresceu a acreditar na mudança política e social, na construção de um mundo melhor. Então as escolhas eram claras - Estado Novo versus democracia. E como nos embebedámos de liberdade.
Hoje não há escolha, ou o PEC ou a bancarrota. Pela enésima vez, os portugueses vivem à beira do abismo financeiro mas, tal como na história do lobo, ninguém acredita que seja verdade. O consumismo, para os que ainda podem, é a sublimação da frustração. Hoje posso gastar, amanhã logo se vê!
A deriva gestionária alastra como uma mancha de óleo. O primado da política deu lugar à contabilidade, necessária, mas insuficiente. O futuro é previsível, tanto quanto para um fugitivo que se mete por um beco.