quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Às vezes os erros pagam-se

Os gestores de topo da Toyota devolveram uma percentagem das remunerações recebidas em 2009 por a empresa não ter atingido os objectivos previstos.
A ideia parece simples e justa mas, infelizmente, muito pouco praticada. A regra é despedir os trabalhadores quando os gestores incompetentes deixam afundar as empresas e, incapazes de se auto responsabilizarem, descarregam o peso da sua ineficiência sobre o elo mais fraco.
A prática da Toyota pode não passar de um gesto simbólico, mas não deixa de ser uma séria chamada de atenção para quantos se esquecem que a ética da responsabilidade deve estar na primeira linha de preocupações de qualquer gestor ou dirigente. Pode ser que o exemplo vingue.