segunda-feira, 7 de junho de 2010

As primárias de Alegre

Manuel Alegre não merecia isto. O PS escolhe-o, aparentemente, porque não encontrou melhor. Estes momentos costumam ser de exaltação, mas neste caso a escolha parece ser uma espécie de óleo de fígado de bacalhau, sabe mal mas faz bem.
Não compreendo a estratégia seguida, como aliás não consigo perceber muitas outras coisas que se passam no PS e no Governo, mas com estes em derrapagem ou Alegre seduz o centro ou vai ser mau de se ver.
Alegre é uma referência, uma voz da liberdade, um poeta maior da língua portuguesa, um político experimentado, um cidadão que não se deixa encabrestar. Pode não se gostar dele, mas é candidato por direito próprio e as primárias já ninguém lhas ganha.