segunda-feira, 20 de junho de 2011

Sete Ideias para mudar a educação em Portugal

Agora que vamos iniciar um novo ciclo governativo é altura de contribuir com algumas ideias que ajudariam a mudar a educação em Portugal.
Redefinir as competências e a orgânica do Ministério da Educação
O ME devia ser reconfigurado para se ocupar apenas das funções de planeamento, desenho curricular nacional, supervisão e controlo do sistema educativo, deixando de lhe competir a gestão das escolas.
Uma nova gestão para o sistema escolar
Uma nova gestão do sistema através de unidades territoriais de nível municipal. Não significa entregar a gestão das escolas aos municípios, mas encontrar um modelo de gestão de base municipal que substitua a gestão burocrática e centralizadora atual por um modelo mais participativo, mais coordenado local e regionalmente, mais eficiente e que seja capaz de alcançar melhores resultados.
Mais autonomia para as escolas
Cada escola é única. Como pode ser governada como se fossem todas iguais? Autonomia significa capacidade de se organizar e de se gerir de forma própria, de poder formar as suas equipas, de possuir liberdade para gerir elementos do currículo de forma diversa.
Maior profissionalismo na gestão escolar
A gestão de uma escola tem muito de comum com a gestão de qualquer outra organização e tem as particularidades próprias do tipo de uma organização escolar. Um gestor escolar tem de ser uma espécie de diretor geral com conhecimentos da área administrativa e financeira e, simultaneamente, um líder pedagógico. Não sendo uma carreira autónoma, tem especificidades que não se confundem com a normal atividade de ser professor. No mínimo, tem de ser-se um professor-gestor.
Maior reconhecimento do papel dos professores
Sem professores competentes e motivados não pode haver boas escolas, bons alunos, bons resultados escolares. Os professores portugueses são tão bons quanto os melhores, mas falta-lhes o reconhecimento que merecem. Sem reconhecimento, sem autoridade, sem perspetivas, não há motivação. E sem motivação não há futuro.
Criar uma Agência Nacional de Avaliação
A avaliação das escolas e dos professores é um processo irreversível e indispensável. O modelo mais independente é o de uma agência nacional que se ocupe exclusivamente da avaliação, segundo critérios técnica e cientificamente sustentados e internacionalmente reconhecidos.
Redefinir as relações público-privado
Mais educação e melhor educação para Portugal, significa gerir melhor os dinheiros públicos. O financiamento não pode ser discriminatório. Quem fizer melhor deve ser compensado, quem não tiver alunos deve ser penalizado.
José Manuel Silva
jmsilva.leiria@gmail.com