segunda-feira, 7 de maio de 2012

Viragem à esquerda

A vitória de François Holland é uma lufada de ar fresco numa Europa depauperada pela crise, pelo desemprego, pela descrença e pela falta de alternativas políticas ao modelo monetarista, que faz do equilibrio das contas públicas e do desprezo pelas pessoas o eixo de uma ação condenada ao fracasso.
Sabe-se que entre as promessas e a sua concretização vai um longo e doloroso caminho e que muitas das medidas nunca passarão do mero enunciado. No entanto, o que é interessante em Holland, o candidato que parecia não ter carisma para ser eleito, é que marcou a França e a Europa com a sua agenda para o crescimento e isso bastou para ganhar e para destronar Sarkozy, profundamente identificado com o beco em que ele e Merkel meteram a Europa.
O futuro não é linear, mas não será exagero afirmar que a França e a Europa acordaram hoje de um pesadelo com a certeza de que a esperança renasceu e novas soluções, para além da austeridade sem limites, são possíveis e vão concretizar-se. Vive la France!!!